Densidade e o Comportamento dos Grãos em Silos

      Nenhum comentário em Densidade e o Comportamento dos Grãos em Silos

Dentro desse vídeo estarei mostrando algumas densidade de grãos, comuns que toda fábrica de ração possui. Ele serve de complemento para o vídeo de passeio de virtual que publiquei recentemente.

O intuito é ajuda as pessoas que trabalham em fábricas de ração a se planejar melhor no recebimento de matéria prima, e na programação mensal de suas produções, de forma que não falte matéria prima na fábrica, e que também não exceda gerando desgastes entre PCP x Produção e Fábrica de Ração x Fornecedor.

Não é difícil encontrar sair um dia para viajar e encontrar um camioneiro parado na porta de uma fábrica de ração aguardando horas para descarregar o seu produto, e como muitos ganham por frete, o tempo parado para eles é sinônimo de prejuízo.  Dentro da fábrica a falta de planejamento gera um cabo de guerra entre produção e PCP ou por falta de Matéria Prima ou por não haver silos para descarregar o produto que foi pedido.

E esses desentendimentos são sentidos em outros pontos da produção fazendo com que o Gestor da planta tenha que ter um jogo de cintura para poder equilibrar essa balança de forma ética e sem privilegiar nenhum dos lados.

Com o passar dos anos, as fábricas de ração passaram a ter um grande problema para resolver, que é o fato da diversidade de matéria prima disponível, para poder formular um ração com um alto padrão nutricional.

Em no início dos anos 2000, pouco se falava em ração premium ou super premium, e para grande maioria das fábricas de ração o máximo de matéria prima que se utiliza não passava de 6 opções, milho, Farelo de Soja, Quirera de Arroz, Farinha de vísceras,  Farinha de Carne e ossos, Farinha de Peixe e os Premix (Vitaminas e Minerais).

Hoje temos uma condição de mercado diferente e precisamos diversificar e melhorar nossos produtos buscando o melhor custo possível e máxima qualidade. E para ser ter isso, tem aparecido novas fontes de matérias primas que até então não era utilizado.

São elas, farelo de trigo, farinha de torresmo, farinha de carne de animais como Cordeiro, salmão,  farinha de legumes e Vegetais até a mais recente farinha de insetos, que ainda pouco se apresenta no mercado de cães e gatos, mas logo estará presentes nas formulações como apontam vários estudos e projeções.

E a cada dia que passa teremos novos ingredientes que irão desafiar ainda mais os gestores de fábricas de ração. E é muito importante estar atento as novidades e as distancias que essas matérias primas estão da sua fábrica de ração para que seja feita um melhor controle do planejamento produtivo.

Em breve estarei falando um pouco mais desse assunto para podermos ampliar ainda mais nossas ferramentas de gestão.

Um forte de Abraço e até a próxima.

Eng. Rafael RS

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *