Zaire: Pescas identifica potenciais áreas para a prática da aquicultura no Soyo

Zaire: Pescas identifica potenciais áreas para a prática da aquicultura no Soyo

Em declarações à Angop hoje, terça-feira, nesta cidade, o responsável provincial do Instituto de Pesca Artesanal(IPA), Álvaro Jorge, informou que experiência piloto na criação de peixes de água doce está já em curso nos municípios de Mbanza Congo, do Nzeto, Cuimba e Nóqui.
Afirmou que por orientação da Direcção Nacional da Aquicultura, uma atenção especial será dada aos municípios do Tomboco e Soyo, por reunirem melhores condições em termos de recursos hídricos.
“ Soyo e Tomboco reúnem abundantes recursos hídricos para a construção de viveiros a base de tanques ou sistemas naturais, através de desvios do curso das águas dos rios e das lagoas”, enfatizou.
Para o responsável, o fomento da aquicultura obedece a um programa gizado pelo Executivo e que deve ser devidamente implementado, com vista a contribuir na melhoria da dieta alimentar da população.

Explicou que, numa primeira fase, foram preparados 52 tanques para a criação de peixes, nos municípios referenciados, cujo processo é feito totalmente de forma manual, desde a escavação dos reservatórios a produção de ração.

Assegurou, para este ano, a realização de uma acção formativa dirigida a aquicultores da região, em matéria de rentabilização do pescado, potenciamento e tratamento dos viveiros.
Na visão do director do IPA no Zaire, as experiências a serem transmitidas aos participantes irão contribuir nos esforços de combate à fome e à pobreza, assim como na diversificação da economia.
Encorajou os empresários locais a abraçarem a iniciativa, por ser uma prática que em muitos países do mundo gera recursos financeiros adicionais.
Na província do Zaire, o sector das pescas controla cerca de 15 aquicultores, distribuídos nas comunidades piscatórias dos municípios de Mbanza Congo, do Nzeto, Cuimba e Nóqui, segundo a fonte
Fonte: Portal Angop

Deixe uma resposta