Qualidade da água deve fazer parte de estratégia nutricional de aves e suínos

A diminuição do consumo de água é um dos primeiros alertas não somente de um possível desafio sanitário dos animais, mas também para controle genito-urinário e bem-estar do animal

Muitas vezes negligenciada, a água é um nutriente essencial para os animais, sendo importante para várias funções fisiológicas, como controle de temperatura, processos digestivos e excreção.

“A água representa de 55% a 75% da composição das aves e até 80% dos suínos. Ainda assim, o trabalho de controle de microrganismos nas águas é muito pouco realizado nas granjas, sendo corrigido quando necessário”, afirma Andrea Silvestrim, gerente de programa de Suinocultura da Trouw Nutrition.

A qualidade da água é essencial para auxiliar a alta performance zootécnica dos animais, com efeito direto sobre a quantidade ingerida.

“A diminuição do consumo de água é um dos primeiros alertas não somente de um possível desafio sanitário dos animais, mas também para controle genito-urinário e bem-estar do animal”, afirma Andrea.

Ainda segundo ela, a água com características de pH mais alcalino (acima de 7), alta temperatura (acima de 21º C) e alto nível de dureza, pode apresentar uma palatabilidade desagradável, efeito laxativo e também interferir na eficiência de alguns medicamentos.

A qualidade da água é essencial para auxiliar a alta performance (Divulgação)

“Todos estes fatores podem impactar diretamente no desequilíbrio da flora intestinal e, consequentemente, impactar no desempenho dos animais, comprometendo a eficiência do ganho de peso e conversão alimentar”, explica.

A qualidade da água varia de acordo com a fonte de coleta. No Brasil, cada região apresenta suas peculiaridades em relação a pH, dureza, STD (sólidos dissolvidos totais), excesso de ferro, manganês, sulfitos e enxofre.

Dependendo da qualidade da água, temos graves problemas por contaminação de bactérias, fungos e leveduras, acarretando problemas no intestino das aves, como passagem rápida da ração, má absorção dos nutrientes e da dieta, perda de peso e outros desafios sanitários.

“Todos esses fatores merecem atenção especial no tratamento da água com ácidos orgânicos“, disse Gustavo Grzybowski, gerente de programa de avicultura da Trouw Nutrition.

O valor do pH é outro tópico essencial, pois impacta o consumo, a proliferação de microrganismos e os tratamentos via água.

“O controle do pH da água com Selko pH traz a segurança na dosagem e na aplicação do produto, garantindo pH da água entre 3 e 4, o que evita a proliferação de bactérias, fungos, leveduras e mantém a estabilização da água em pH ideal. Importante destacar que o pH abaixo de 3 inibe o consumo da água das aves”, completa Grzybowski.

Selko pH é a solução que a Trouw Nutrition oferece. O uso de Selko pH na água de bebida, com a dosagem corretamente recomendada por um especialista técnico, diminui a incidência de doenças entéricas como a Salmonella spp e E. coli, obtendo positivamente a melhora dos índices zootécnicos.

O produto auxilia na digestão e absorção dos nutrientes da ração e reduz a pressão de contaminação no trato digestivo do animal, proporcionando qualidade da integridade intestinal e no bem-estar animal, além de reduzir o uso de antibióticos, o que colabora para a sustentabilidade da cadeia de produção.

Para melhorar a qualidade da água, é preciso entender o seu comportamento, conhecendo a dosagem de cloro utilizada, determinando a dureza e os sólidos dissolvidos.

Fazer exame microbiológico, para contagem de enterobactérias, fungos e leveduras, é outro procedimento recomendado, além de fazer gráfico de titulação do pH.

Suínos em confinamento (Divulgação)

“Compreendendo a qualidade da água e seu comportamento, ajustamos as dosagens de cloro conforme o ORP e dosificamos com Selko pH, conforme a necessidade do produtor e de acordo com os desafios sanitários que apresentam”, disse Gustavo Grzybowski.

“Também pesa a finalidade de uso, como troca de ração, passagem rápida de ração, disbiose, contaminação de carcaça, pré-abate, ovos sujos, melhorar pico de produção, melhorar qualidade dos ovos, reduzir mortalidade e aumentar o peso nas primeiras semanas para melhorar os índices zootécnicos. Isto é realizado por meio de um mapeamento da propriedade com serviços laboratoriais prestados pela equipe da Trouw Nutrition”, completa.

Os sistemas de produção intensivos exigem cada vez mais o controle de patógenos com menor uso de antimicrobiano, bem como o mercado exige animais de alto desempenho com um custo de produção sustentável.

O Selko®-pH oferece blend de ácidos orgânicos com efeito da saúde intestinal reduzindo o pH do estômago, além de criar barreira natural contra bactérias gram-negativas, auxiliando na digestibilidade.

“Dessa forma, os nutrientes da ração serão melhores ingeridos e absorvidos. A qualidade da água desempenha papel essencial nesse processo. Animais saudáveis realizam melhor conversão alimentar e estão mais imunes às infecções oportunistas em granjas”, pontua Andrea Silvestrim.

Fonte: Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *