Produção de suínos está estre as mais rentáveis do setor primário

Venâncio Aires contabiliza, segundo a Secretaria Municipal da Fazenda, cerca de 7 mil propriedades rurais envolvidas com a produção primária. Esta produção foi responsável por 16,36% do retorno de ICMS ao município em 2017. Em valores, o setor respondeu por quase R$ 241 milhões de reais no ano passado, de acordo com o Valor Bruto da Produção Agrícola. Desse total, o tabaco segue liderando e sua participação chegou a 62,86% em 2017, apesar de uma diminuição considerável desde 2005, quando tinha 83,53%.

Se por um lado a participação do tabaco no VBPA diminuiu, a criação de aves e suínos elevou os próprios índices. No ano passado, já respondiam, respectivamente, por 6,89% e 11,27%.

Na tabela abaixo, os dados comparativos das principais produções agrícolas de Venâncio.

Foto: Divulgação / Emater Venâncio Aires

Investimentos triplicam produção da família Pohl

Diego André Pohl tinha apenas 21 anos quando decidiu investir na produção de leitões. Isso faz cinco anos e hoje ele mais que triplicou os investimentos do pai, Hari. Na propriedade da família, em Linha Olavo Bilac, são três galpões com 360 metros quadrados cada e que comportam até 2.100 leitões por lote.

É neles que Diego abriga os animais com apenas 21 dias. Nos 47 dias seguintes, no chamado ‘sistema creche’, os leitões receberão ração à vontade. ‘Eles vêm para mim com uns 6 quilos e entrego com até 30 quilos’, revela o jovem agricultor.

Integrado à Cooperativa dos Suinocultores de Encantado (Cosuel), é a empresa quem fornece os leitões e depois recolhe. Assim que os animais saem, o cuidado é com o chamado ‘vazio sanitário’, destinado à limpeza dos galpões e repintura com cal. Com isso, Diego lida com cerca de seis lotes por ano, ou seja, 12.600 animais passam pela creche.

Durante as semanas que permanecem na propriedade dos Pohl, os leitões são tratados com ração, fornecida pela Cosuel. O alimento chega até o tratadores de forma automática, através de canos interligados com os silos que ficam ao lado dos galpões. Cada silo comporta 9 mil quilos de ração.

Toda a estrutura de galpões, silos e tratadores automáticos foi construída há cinco anos e Diego diz que outros investimentos ainda podem ser feitos. Aos 26 anos, o jovem quer continuar morando e trabalhando no interior. Recentemente, ele e a noiva Tamara se mudaram para a casa própria.

Foto: Débora Kist / Folha do MateDiego tem 26 anos e decidiu investir em infraestrutura para recria de leitões
Diego tem 26 anos e decidiu investir em infraestrutura para recria de leitões
Foto: Débora Kist / Folha do MateAnimais são fornecidos pela Cosuel, que os entrega com 21 dias
Animais são fornecidos pela Cosuel, que os entrega com 21 dias

Fonte:Folha do Mate

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *