Milho: Preços internacionais encerram quinta-feira em baixa

      Nenhum comentário em Milho: Preços internacionais encerram quinta-feira em baixa

Os preços internacionais do milho encerraram a quinta-feira (14) apresentando quedas na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registraram desvalorizações entre 3,25 e 4 pontos negativos. O vencimento março/19 foi cotado a US$ 3,74, o maio/19 valeu US$ 3,83 e o julho/19 foi negociado a US$ 3,90.

Segundo análise de Bryce Knorr da Farm Futures, os preços do milho operaram mais baixos nesta quinta-feira, levando os futuros de março abaixo das médias móveis-chave. O mercado permaneceu trancado em uma faixa estreita tentando evitar uma pausa sazonal que não é incomum para fevereiro.

Mais usinas de ração sul-coreanas estavam no mercado durante o dia e, com base nos preços atuais e nas taxas de frete, é provável que essa demanda seja retirada da América do Sul ainda nesta primavera.

Já o site Barchart acrescenta que o milho sentiu a pressão do resto do complexo de grãos. O atrasado relatório de vendas de exportação divulgado nesta manhã, mostrou que as vendas de safra na semana de 3 de janeiro ficou em 459.822 mil toneladas. Isso foi abaixo da semana anterior, mas ainda 5% acima da mesma semana do ano passado.

Além disso, a projeção de produção de milho na Argentina foi aumentada em 2,5 milhões de toneladas para 46,5 milhões de toneladas pela Rosario Grain Exchange, ligeiramente acima das 46 milhões do USDA.

Mercado Interno

Já no mercado interno, os preços do milho disponível permaneceram sem movimentações em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, valorizações foram registradas apenas nas praças de Pato Branco/PR (0,95% e preço de R$ 32,00), Ubiratã/PR e Londrina/PR (1% e preços de R$ 33,00), Oeste da Bahia (1,45% com preços de R$ 35,00) e Campo Novo do Parecis/MT (4,35% com preços de R$ 24,00).

Não houve registro de desvalorizações nesta quinta-feira.

De acordo com a XP Investimentos, nem mesmo o início da colheita de milho tem sido suficiente para acalmar os ânimos altistas. Nesta quinta-feira, a amostra da XP Investimentos avança ao maior nível dos últimos 5 meses (desde 19/9).

O ponto chave ainda é a regionalização dos lotes. O milho tributado dificilmente chega as praças paulistas, prejudicados pelos altos níveis dos fretes. Com os negócios restritos ao diferido, Intermediários e Silos, ao menos por enquanto, se aproveitam para elevar suas pedidas pelos estoques e realizar seus lucros. Indústrias e Granjas só recompõem os estoques, sem inspiração compras maiores.

A Agrifatto Consultoria destaca que os mapas climáticos têm tido variações rápidas, reforçando a necessidade de acompanha-los regularmente quando pensamos na safrinha do milho. De acordo com o modelo do Centro de Previsão dos EUA (NOAA), a estimativa de chuvas para os próximos 7 dias se mantém com previsão de precipitação na região central do país, como MT, GO e MG.

Além disso, vale destacar previsão de instabilidade também no MS, onde a umidade do solo segue mais baixa. Para a última semana deste mês, os mapas vêm passando por alterações positivas, indicando volumes maiores de chuvas no centro-norte do país.

Se as previsões climáticas se confirmarem, podem favorecer o estabelecimento e desenvolvimento do milho safrinha que está sendo semeado neste momento.

Confira como ficaram as cotações hoje:

MILHO

Fonte: Noticias Agricolas

 

 

Deixe uma resposta