Dia Mundial do Leite: Brasil se destaca na produção global do setor

Foto: Pixabay License

Neste 1º de junho, comemora-se o Dia Mundial do Leite, instituído, em 2001, pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO/ONU) com o objetivo de incentivar o consumo de lácteos. A escolha de 1º de junho ocorreu porque vários países, a maioria da Europa, já comemoravam o Dia Nacional do Leite nesta data. O Brasil, segundo a Mapa, é o terceiro maior produtor mundial do setor leiteiro.

O leite está entre os seis primeiros produtos mais importantes da agropecuária brasileira, com produção em torno de 33,6 bilhões de litros anuais. O rebanho leiteiro do país é o segundo maior do mundo, ficando atrás apenas do da Índia. São cerca de 70 milhões de animais utilizados na pecuária de leite, entre vacas, novilhas, bezerras e touros.

O agronegócio do leite e derivados desempenha papel relevante no suprimento de alimentos e na geração de emprego e renda no Brasil. A atividade é desenvolvida em cerca de 1,2 milhão de propriedades rurais, envolvendo, só no setor primário, quase 5,2 milhões de pessoas. Ao todo, das fazendas aos laticínios, passando pelo transporte e comercialização, a cadeia reúne em todo de 20 milhões de produtores e trabalhadores.

Minas Gerais

Minas Gerais é a principal bacia leiteira do país. Com produção em torno de 9 bilhões de litros por ano, o estado responde por 26% do volume nacional. Minas também se destaca na produção de queijos artesanais, que projetam o nome do estado e do país mundo afora.

É no estado mineiro que a Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater) executa o projeto ‘Ater Leite’, beneficiando agricultores familiares, mulheres e jovens rurais do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba.

A iniciativa é desenvolvida em parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) e integra mil famílias de 46 municípios mineiros, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida delas, por meio de ações baseadas na capacidade operacional instalada, realidade e contexto regional.

O presidente da Anater, Ademar Silva Jr, destaca que o setor leiteiro é um dos mais tradicionais do país, envolvendo todos os níveis de produção, desde o agricultor familiar até os grandes produtores. A cadeia, pontua, “tem uma força expressiva na geração de empregos e supera setores importantes para a economia nacional, como a construção civil e a indústria têxtil.”

Os números confirmam isso. Em 1961, o Brasil produzia pouco mais de 5 bilhões de leite. Em 2015, atingiu 35 bilhões de litros, um aumento de sete vezes em pouco mais de cinco décadas. As exportações brasileiras aumentaram com a abertura de novos mercados, como a China e a Rússia, que são os maiores consumidores de produtos lácteos do mundo. O país faturou US $ 167,90 milhões em 2016 e só nos quatro primeiros meses deste ano a conta já está em US$ 44,3 milhões.

Foto: Alcides Okubo Filho/Embrapa

Construindo Leite Brasil

O setor representa ainda 12,5% do Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP), estimado em R$ 73 bilhões para 2020.

Mesmo assim, o setor enfrenta há pelo menos seis ano uma crise financeira por falta de uma política de formação de preços para o produtor de leite, custo de produção elevado, alta carga tributária, endividamento rural, legislações trabalhistas, tributária e ambiental e importações de outros mercados.

“Tudo isso vem sufocando, asfixiando e escravizando os produtores brasileiros de leite”, segundo nota divulgada, dias atrás, pelo Movimento Construindo Leite Brasil, que reúne cera de 10 mil produtores da base rural.

Alimento

A importância do leite na alimentação é reconhecida desde os primórdios da humanidade. O filósofo da Grécia Antiga, Hipócrates, considerado o Pai da Medicina, afirmou que o leite “é um alimento muito próximo da perfeição”.

Rico em proteína e carboidrato, o leite é considerado o principal alimento fonte de cálcio para a nutrição humana. Para suprir as necessidades diárias de cálcio, a FAO/ONU recomenda consumir três porções de lácteos por dia ou 1000 mg. O ideal é ingerir um copo de 200 ml da bebida, uma fatia de queijo de 50 gramas e um iogurte.

#desafiodoleite

Recentemente, os movimentos Construindo Leite Brasil, Inconfidência Leiteira e outros relançaram a campanha #desafiodoleite, apoiada também pela Abraleite. A ação consiste em gravar uma mensagem em vídeo sobre a importância do leite como alimento e convidar outras pessoas para que participem da iniciativa, voltada para o aumento do consumo de lácteos.

Além de produtores de norte a sul do país, já participaram da campanha o presidente Jair Bolsonaro, a ministra Tereza Cristina (Agricultura), o presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), Alceu Moreira (MDB/RS), a deputada federal Aline Sleutjes (PSL/PR), coordenadora do grupo criado pela FPA para propor políticas de apoio ao setor leiteiro, e os deputados federais Ronaldo Santini (PTB/RS) e Jerônimo Goergen (Progressistas/RS), que igualmente têm trabalhado no Câmara Federal em defesa dos produtores de leite.

Fonte: Agro em dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *