Confira 5 dicas para o caminhoneiro transportar ovos em segurança

ovos
Foto: Pixabay/divulgação

A produção de ovos no Brasil ultrapassou as 3,3 bilhões de unidades em 2017. Referência no país, a cidade de Bastos (SP) é conhecida como a capital nacional dos ovos. O motivo para esse título é simples, a cidade abriga mais galinhas do que pessoas. São 30 milhões de aves e uma população  de 20.900 habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com tamanho plantel, Bastos responde por cerca de 20% da produção brasileira e produz atualmente 20 milhões de ovos por dia. “Vem gente do Brasil inteiro buscar ovos na cidade”, diz Katsuhide Maki, produtor e presidente do Sindicato dos Produtores de Ovos de Bastos.

A logística de produção, armazenamento e distribuição de ovos requer uma série de cuidados. Hoje, o comprador é quem faz o transporte do produto. “O avicultor entrega o ovo na granja e nesse momento acaba a responsabilidade do granjeiro”, diz Maki. De acordo com ele, o transporte mais usado para levar os ovos da granja para o varejo é o caminhão baú.

“É preciso cuidado ao embarcar o produto no caminhão, que deve ter um tablado no chão para proteção. Se o produto estiver bem armazenado dentro do caminhão, pode seguir por longas distâncias, e o transporte pode ser feito em qualquer horário do dia ou da noite”, diz.

Para transportar sem quebrar

Embarque – Com o auxílio de um ajudante, o motorista deve fazer o transporte dos ovos da granja até o caminhão e acomodar adequadamente os produtos dentro do compartimento de carga.

Veículo – Em geral, é utilizado caminhão do tipo baú, cargo, não climatizado, com paredes e assoalho impermeabilizados.

Rota – O planejamento da viagem é importante. Busque o melhor trajeto, em termos de condição das estradas. Assim, o custo será menor e a eficácia, maior.

Estradas – O maior problema está nas estradas rurais. Em mau estado de conservação, elas apresentam excesso de buracos, que provocam trepidação e podem danificar o produto.

Vibração – O nível de vibração durante o transporte depende do tamanho do lote, da qualidade da embalagem, da velocidade empregada pelo condutor, da aceleração, do número de frenagens, do tipo de suspensão do veículo, da calibragem dos pneus e da distância percorrida.

Fonte: Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *