Cães podem obter coronavírus?

      Nenhum comentário em Cães podem obter coronavírus?

No início de março de 2020, a Organização Mundial da Saúde declarou que o novo coronavírus COVID-19 é uma pandemia global. No pânico com a propagação do vírus, as pessoas estão preocupadas não apenas com a própria saúde, mas também com a saúde de seus cães, gatos e outros animais de estimação.

Cães usando máscaras apareceram em fotos nas mídias sociais, fazendo com que os donos de animais perguntassem em todos os lugares: os cães podem obter o coronavírus?

Cães podem contrair COVID-19?

Os cães podem contrair certos tipos de coronavírus, como o coronavírus respiratório canino, mas acredita-se que esse novo coronavírus específico, também conhecido como COVID-19, não seja uma ameaça à saúde dos cães.

A Organização Mundial de Saúde declarou: “Não há evidências de que um cachorro, gato ou qualquer animal de estimação possa transmitir o COVID-19. O COVID-19 se espalha principalmente por gotículas produzidas quando uma pessoa infectada tosse, espirra ou fala. Para se proteger, limpe as mãos com freqüência e com cuidado para limpar todas as áreas da mão. ”

Os cães podem espalhar o COVID-19?

Li Lanjuan, epidemiologista e representante da Comissão Nacional de Saúde da China, alertou os donos de animais na China para ficarem vigilantes sobre sua própria saúde e a saúde de seus animais de estimação: “Se os animais de estimação saem e têm contato com uma pessoa infectada, eles têm a chance de serem infectado. Até então, os animais precisam estar isolados. Além das pessoas, devemos ter cuidado com outros mamíferos, especialmente com animais de estimação. ”

O CDC diz que “embora esse vírus pareça ter surgido de uma fonte animal, agora está se espalhando de pessoa para pessoa”. O CDC recomenda que as pessoas que viajam para a China evitem animais vivos e mortos, “mas não há razão para pensar que qualquer animal ou animal de estimação nos Estados Unidos possa ser uma fonte de infecção por esse novo coronavírus”.

Dois cães em Hong Kong, cujos donos deram positivo para COVID-19, deram positivo para o vírus, naquilo que as autoridades de saúde caracterizam como “provavelmente um caso de transmissão humano-animal”. As autoridades de saúde do governo local enfatizam que “atualmente não há evidências de que os animais de estimação possam ser uma fonte de infecção pelo COVID-19 ou que fiquem doentes”.

É seguro acariciar meu cachorro?

Segundo a Associação Americana de Medicina Veterinária, acariciar o pelo de um cachorro tem um risco baixo. O diretor veterinário da AVMA, Gail Golab, diz: “Não estamos muito preocupados  com as pessoas que contraem COVID-19 por meio do contato com cães e gatos”. E há uma ciência por trás disso: “O vírus sobrevive melhor em superfícies lisas, como bancadas e maçanetas”, diz Golab. “Materiais porosos, como peles de animais, tendem a absorver e aprisionar os patógenos, dificultando a contaminação deles por meio do toque.”

Dr. Jerry Klein, Diretor Veterinário do AKC, diz: “O CDC não relatou nenhum caso de animal de estimação ou outro animal infectado pelo COVID-19 nos Estados Unidos ou em qualquer outro lugar do mundo, incluindo viveiros como a Itália”. Klein recomenda as práticas recomendadas de bom senso, quando se trata de nossos animais de estimação: “Se você tem filhos, eles não devem  tocar em um filhote e colocar os dedos na boca, porque eles podem ser contaminação com algum microrganismo”, diz ele. “A prática de lavar as mãos depois de tocar em um filhote ou um cachorro – é uma pratica normal e que deve ser executada sempre que eles interagirem.”

Posso passear com meu cachorro?

O exercício físico e mental são extremamente importantes para cães e seus donos. Antes de dar um passeio, veja como estão as orientações para a sua cidade, algumas cidades estão com poucos casos e com isso há uma liberdade maior para as caminhadas, nesta situação todos donos de cães que se sentirem saudáveis ​​e bem devem realizar os passeios com seus cães diariamente. Em outro locais onde a contaminação está mais elevada existem ordens relativas ao toque de recolher, esteja atento as orientações de sua cidade e se programe para ter o seu tempo com o seu amigo.

Os proprietários devem lavar bem as mãos por pelo menos 20 segundos antes e depois de cada caminhada. Considere levar uma garrafa de desinfetante para as mãos do tamanho de um bolso durante as caminhadas. Pratique medidas de distanciamento social, passeando com o cachorro em áreas desertas, quando possível. Se você mora em uma cidade grande, faça esforços para andar com seu cão em quarteirões com menos tráfego intenso ou tente ajustar as caminhadas para horários menos movimentados do dia e da noite.

Como os proprietários de cães podem proteger os cães contra o coronavírus?

Por enquanto, os donos de animais saudáveis ​​nos EUA não precisam fazer nada além de seguir as precauções básicas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão antes e após o contato com qualquer animal, incluindo cães e gatos. Se você for positivo para COVID-19 ou tiver sido exposto ao novo coronavírus, os especialistas recomendam que você deve “restringir o contato com seus animais – tanto para evitar a exposição dos animais de estimação quanto para evitar que o vírus atinja sua pele ou pêlo, o que pode ser passado para outra pessoa que toque o animal. ” Para reduzir a propagação de todos os germes, considere limpar as patas do seu animal de estimação quando elas entrarem e saírem de casa com um limpador de pás e toalhetes.

Os cães não precisam de uma máscara facial para se protegerem contra o novo coronavírus COVID-19. Se você ainda estiver preocupado ou notar uma alteração na saúde do seu cão, fale com um veterinário. E a proteção mais importante de todas: sob nenhuma circunstância os proprietários devem abandonar seus cães, gatos ou outros animais de estimação por causa dos medos da COVID-19.

Preso em casa e tentando lidar com a crise do COVID-19? Mantenha seu cão feliz com jogos e brinquedos à prova de tédio.

Fonte: akc.org

Traduzido pelo Portal R2S

Deixe uma resposta