Aplicação de Líquido a Vácuo – “Teste de Bancada”

Eng. Rafael Resende Silva

Muitas empresas precisam fazer testes com seus produtos para terem a certeza de que o investimento é viável, para aquela inovação, contudo nem todas as empresas conseguem fazer esses testes em pequenas escalas.

O mínimo que ainda se exige são de 200 a 500Kg para poder rodar um teste confiável. Pensando nisso e aproveitando o ócio criativo da pandemia, comecei a pensar em uma forma de testar a aplicação de líquidos em forma de bancada, de uma forma que se utilize no máxima 1 Kg de Produto e seja possível entender o efeito de variáveis dentro da aplicação de liquido.

E assim foi feito, com peças que temos em casa consegui montar esse protótipo e é o que veremos no vídeo de hoje. Realizei 4 testes que são os mais questionados pela área de ração animal atualmente.

1º Teste: Ração e Óleo na temperatura ambiente:

No primeiro teste, foi feito a aplicação de óleo e ração a temperatura ambiente, esse teste é muito comum na piscicultura na qual a aplicação de líquido é feito depois do resfriamento com a temperatura ambiente da ração e se utiliza muito óleo de origem vegetal nesse caso.

2º Teste: Ração Aquecida e Óleo na temperatura ambiente:

Nesse teste estamos simulando a saída da ração de dentro do Secador e o uso de Óleo vegetal muito usado por empresas no norte, Nordeste e Centro Oeste do Brasil ou mesmo óleo de origem vegetal nesses mesmos estado que pela alta temperatura ambiente não utilizam sistemas de aquecimento.

Nesse teste já podemos perceber uma absorção maior da ração, preenchendo mais o interior da ração.

3º Teste: Ração na temperatura ambiente  e Óleo Aquecido:

Esse Terceiro teste representa a maior parte das empresas de ração, é a ração que passa no secador, resfriador e posteriormente passa pelo a aplicador de líquidos, nesse caso dependendo da temperatura da ração e a quantidade de óleo aplicado no vácuo, temos alguns problemas na coloração da ração, a olho nu não apresenta muita diferença mas para quem é do ramo, chega a ser gritante os pontos de mancha dentro da ração, isso se deve a uma absorção muito rápida por conta da temperatura do óleo mais a ação do vácuo e a ração não conseguir absorver por igual essa porcentagem ou absorver de forma desproporcional para cada Kibble.

3º Teste: Ração e Óleo Aquecidos:

Esse ultimo teste é o melhor dos mundos na aplicação de liquido na fábrica de ração e gera algumas discussões em fazer a aplicação em duas etapas sendo o óleo com a temperatura de saída do forno e o palatabilizante após o resfriamento da ração pet.

Nesse teste podemos ver o quanto o óleo foi absorvido pela ração preenchendo o seu núcleo por inteiro e satisfazendo a todos os quesitos de aplicações que se busca no dias atuais.

Bom pessoal são esses os testes, acredito que podemos fazer outros testes em outros vídeos como aplicação com e sem vácuo, com e sem vácuo com óleo e ração aquecido. Deixem os comentários de vocês para que eu possa direcionar os próximos testes.

Obrigado Pessoal, Forte abraço e até a próxima!

Eng. Rafael Resende Silva

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *